SBRATE

Quero me associar
Esqueci minha senha

Dicas

Corrida na Areia

Quem nunca teve o prazer de correr na areia da praia uma vez na vida? Todo corredor já experimentou a sensação diferente de correr descalço na areia fofa. O esforço e a estrategia de corrida são totalmente diferentes daquela que experimentamos com frequência ao corrermos em superfícies duras.

A biomecânica da corrida tambem se altera de forma significante quando corremos na areia fofa ou dura. Da mesma forma acontece se a corrida ocorrer descalço ou calçado.

Durante a corrida descalço na areia fofa, a aterrissagem aumenta o tempo de contato do pe no solo, permitindo uma maior distribuição das forças atuantes nos pes e tornozelos, reduzindo assim o pico de forças sobre os membros inferiores. O movimento de pronação geralmente se prolonga na fase de apoio, o que pode propiciar sobrecargas nos pes, tornozelos e pernas.

Na areia fofa há um aumento do trabalho motor dos grandes grupos musculares dos membros inferiores (quadríceps, flexores do quadril e músculos glúteos), quando comparado com a corrida no asfalto. Atletas que correm frequentemente na areia fofa desenvolvem mais potência para uma determinada velocidade se comparada à corrida no asfalto. Da mesma forma desenvolvem um aumento da força dos músculos estabilizadores dos joelhos, tornozelos e pes.

No momento da aterrissagem na areia fofa, o arco de movimento do tornozelo difere daquele realizado no asfalto, pois quando o pe toca a areia, há um afundamento do retrope, ou seja, abaixo do plano do solo. Quanto se inicia o movimento de flexão plantar do tornozelo, o calcanhar está posicionado abaixo da linha de superfície, aplicando-se um estresse elevado ao tendão calcâneo. As forças atuantes sobre os músculos da panturrilha e o tendão calcâneo durante as fases de aterrissagem e impulso podem ser significantemente elevadas e propiciar o aparecimento de lesões, dependendo do volume e intensidade de treinamentos realizados na areia fofa. A fáscia plantar tambem pode sofrer estresse adicional durante a corrida com os pes descalços na areia fofa.

O treinamento na areia fofa funciona como um estímulo à propriocepção dos membros inferiores, caracterizando um fator de prevenção de lesões.

embora a corrida de longas distâncias na areia dura com tênis apropriados seja menos impactante para o corpo do que a corrida no asfalto, a corrida na areia dura com os pes descalços eleva o risco de lesões devido às forças mais elevadas que atuam sobre os membros inferiores.

A corrida na superfície inclinada de areia posiciona os membros inferiores de forma assimetrica, propiciando sobrecargas desiguais e modificação na biomecânica da corrida. Longos trechos de corrida no mesmo sentido podem propiciar o aparecimento de desconforto, dor e ate lesões.

Apesar do fato de que haver riscos descritos, a corrida na areia pode ser um elemento positivo, como parte do treinamento de corrida. O início gradual ao treinamento na areia e recomendado ao corredor sem experiência neste tipo de superfície.

experimente tambem correr na areia e bons treinos!

Dr. Cristiano Frota de Souza Laurino
Mestre e especialista em Cirurgia do Joelho e Artroscopia pela UNIFeSP
Diretor Científico da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do esporte (SBRATE)
Diretor Medico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT)
Ortopedista do Clube de Atletismo BM&F/BOVeSPA