SBRATE

Quero me associar
Esqueci minha senha

Leses

A Dor no esporte

A dor e um fenômeno fisiológico fundamental para a manutenção da integridade dos tecidos e, sobretudo, da vida. Hoje, cerca de 70% das pessoas que procuram por um medico no Brasil o fazem por causa de uma queixa dolorosa. Para o ortopedista especificamente, a dor e um dos sintomas mais frequentes na prÁtica diÁria.

No esporte, quer seja ele recreacional, amador ou profissional, a dor e um dos parâmetros limitadores do rendimento, gerando como consequências a perda de concentração, a insegurança e ate a incapacitação.

A Associação Internacional para os estudos da dor (International Association for the Study of Pain) definiu dor como uma experiência sensorial e emocional desagradÁvel associada a uma lesão real ou potencial de um ou mais tecidos, ou descrita em termos de tal dano. A dor pode ser descrita como uma experiência muldimensional que envolve aspectos sensoriais, cognitivos, afetivos, emocionais e motivacionais, logo representa um fenômeno fisiológico fundamental para a manutenção da integridade dos tecidos e, sobretudo da vida.

Da atividade física ao esporte profissional, a dor e um dos parâmetros limitadores do indivíduo. Ignorar a dor traz como consequências diretas o surgimento ou o agravamento de lesões.

A percepção e interpretação da dor podem ser modificadas por fatores sociais, tais como o sexo, a raça, a religião e o nível socioeconômico. As variadas manifestações da dor são capazes de gerar impacto na vida do praticante de esportes e no contexto sociocultural e familiar no qual estÁ inserido.

No esporte competitivo, amador ou profissional, a dor acompanha a busca pela superação dos limites, muito embora a adequada compreensão das diferentes formas de dor e de seus riscos seja uma habilidade restrita a poucos indivíduos. O aprendizado das diferentes formas de dor que o praticante de esportes experimenta no decorrer da vida facilita o diagnóstico precoce e o tratamento das lesões.

O uso frequente e muitas vezes indiscriminado de drogas analgesicas e antiiflamatórias para amenizar sintomas dolorosos ou mascarar as consequências de lesões e parte integrante do universo esportivo. Podemos classificar a dor quanto a duração, em aguda e crônica. A dor aguda caracteriza um evento de curta duração (breve momento a algumas semanas), decorrente de lesões teciduais, processos inflamatórios ou doenças.

A dor crônica apresenta longa duração, podendo durar de vÁrios meses a anos, acompanha doença crônica, degenerativa ou estÁ associada a alguma lesão não tratada. Apresenta carÁter de recorrência, que se manifesta em agudização dos sintomas e limitações concomitantes na realização de movimentos.

Podemos classificar a dor quanto ao mecanismo fisiológico em três grupos:

- NOCICePTIVA: decorrentes de traumatismos, contusões, fraturas

- NeUROPÁTICA: doenças ou disfunções do sistema nervoso

- MISTA: nociceptiva e neuropÁtica juntas

Cuide da sua dor e bons treinos!

Dr. Cristiano Frota de Souza Laurino
Mestre e especialista em Cirurgia do Joelho e Artroscopia pela UNIFeSP
Diretor Científico da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do esporte (SBRATE)
Diretor Medico da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT)
Ortopedista do Clube de Atletismo BM&F/BOVeSPA